O Zumbido | Visions in My Head

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O Zumbido


Escuto barulhos em meus ouvidos, já escrevi muito aqui sobre visões, pensamentos e estados alterados de consciências, mas desta vez tento descrever sobre esse zumbido, não consigo conscientemente entender, muito menos interagir com esse tipo de barulho, isso não me deixa em um estado confortável diante deste dilema.. Mas antes de qualquer tipo de julgamento vamos as causas deste evento..
A exatamente duas semanas atrás eu estava limpando meu ouvido, um evento normal como qualquer outro a não ser pelo meu descuido ao feri-lo e ganhar como recompensa uma inflamação do ouvido médio, que veio com barulhos, zumbidos e alguns momentos de muita febre... Hoje depois de ter passado por um medico e feito todos os procedimentos naturais para o tratamento deste problema, estou livre da inflamação, mas o barulho continua... 
Enquanto escrevo isso estou sorrindo, pensativo e me questionando sobre: Porque tenho necessidade de escrever sobre isso? Que tipo de inspiração uma pessoa encontraria em um barulho angustiante em seu ouvido?
Talvez minha racionalidade esteja ferida assim como o meu ouvido, ou talvez eu esteja em um estado ilusório de inspiração inusitado, viajando nas ondas sonoras de um barulho indecifrável, eu realmente posso encontrar inúmeras sugestões para isso, mas não vou me prender aos motivos que me levaram até aqui e objetivar no zumbido. 
Uma barreira é tudo o que necessito agora para prender a minha atenção ou talvez um pensamento anestesiante que me coloque em estado de contemplação por um algum tempo.. Fechei os meus olhos busquei prender minha atenção no barulho, energeticamente demorei algo em torno de 2 minutos para conseguir uma visão difusa do que se tratava, mas com 3 minutos eu estava de volta ao ponto de inicio sem uma continuidade em saber o que exatamente eu havia perdido, parecia que os meus pensamentos não estavam afim de se lembrar em que tipo de caminhos eu andei com minha atenção. Eu estava me sentindo perdido e buscando por uma reordenação de pensamento que oscilava entre a minha consciência e o zumbido que não para. Eu sou apaixonado por isso e adoro a imensidão dos pensamentos, em vários ciclos e retomadas de consciência fui até o fim e de volta ao inicio várias vezes.. independente do que eu goste isso não afetava em nada essa minha busca. Acreditar em algum tipo de formula ou conceito por isso era fundamental para mim, foi então que peguei uma folha de papel e um lápis eu não tinha ideia do que realmente eu deveria escrever ali, mas fechei meus olhos enquanto mantinha minha mão sobre o papel e direcionava minha energia para o ouvido distanciando meus pensamentos dos movimentos de minha mão, se tivesse algo por trás disso minha mão deveria se mover involuntariamente, mesmo sabendo que cientificamente isso é impossível não custava tentar.. O zumbido... O barulho... O som... A armadilha de processar nossas informações para uma adaptação conforme o método utilizado, nos leva a crer que sempre estamos corretos e que estamos sempre certos.. Mas desta vez eu tenho que admitir meu erro. Eu não posso conceber ao mundo todos os estados de pensamentos que desejo, seja ele com dor, barulhos ou devaneios algumas coisas são inquestionáveis justamente para nos provar que devemos tropeçar sobre eles. Perceber a energia de tudo nós faculta a entender e classificar as coisas, porem algumas coisas foram concebidas para não serem entendidas porque não existe qualquer tipo de relação a pensamentos pré concebidos em sua própria consciência para estabelecer uma analogia concreta e fazê-los germinas neste mundo. Então eu estou completamente absorvido por meus pensamentos, uma confusão assim como esse barulho mas com um desejo de silencio imenso. Agora estou aqui tentando restabelecer uma ordem de pensamento e descobrir em que mundo estou.. Talvez um dia alguém consiga entender sobre os mundos criados através de ondas sonoras.. Enquanto isso não acontece minha viajem continua...

When we first got there, I was working on this kid.
He was shot up pretty bad.
He kept saying, "Please, God."
"Please, God."

I listen to every word that you say, but it's blank 
Can't stop the ringing in my ears 
You try so hard, but I see through the cracks 
You're just exactly what they want you to be 

And if the whole damn world 
Says you deserve the Nobel Peace Prize
You're at war, you're at war 
And if the whole damn world says you're the only one who breathes right
You're at war, you're at war

You're at war, you're at war

I listen to every word that you say, but it's blank 
Can't stop the ringing in my ears 
You try so hard, but I see through the cracks 
You're just exactly what they want you to be

And if the whole damn world 
Says you deserve the Nobel Peace Prize
You're at war, you're at war 
And if the whole damn world says you're the only one who breathes right
You're at war, you're at war

You're at war, you're at war

And if the whole damn world 
Says you deserve the Nobel Peace Prize
You're at war, you're at war 
And if the whole damn world says you're the only one who breathes right
You're at war, you're at war
You're at war, you're at war
You're at war, you're at war
You're at war, you're at war
You're at war, you're at war

Fuck you all
Fuck you all
Fuck you all
Fuck you all

0 comentários:

Open Panel