Processando Desejos | Visions in My Head

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Processando Desejos


Mais do que qualquer tipo de conceituação, as minhas palavras demonstram uma linha de pensamento empírico. Elas guiam o meu dragão interior, guiam-me a interagir com este mundo ou dimensão. Depois de um tempo, percebi que eu estava muito tempo preso em mim mesmo e que deveria olhar para o mundo a minha volta, eu percebi que eu teria que aprender sobre o mundo novamente. Muita coisa mudou talvez o limite para o meu conhecimento agora seja a minha própria natureza. Eu sempre tive medo sobre as visões que a minha mente me revelaram, talvez seja natural ter medo do conhecimento. Porem, mais terrível é saber que posso ser uma casca vazia e sem conteúdo algum. 

Às vezes eu sou atirado de ponta cabeça em um mundo totalmente deserto, sem nenhum tipo de vida em minha volta, e somente neste local é onde direciono a minha atenção para a verdade interior, ao investigar os pensamentos mais primitivos de meu ser em busca de resposta. O que encontro são motivações e desejos, em cada situação eu percebi que o desejo era algo surpreendente e que não bastava apenas ele para que as estrelas acompanhassem os meus pensamentos, era necessário estar canalizado com as energias do mundo e está consciente o suficiente para conhecer os seus limites energéticos. 

Eu já investiguei isso várias vezes e detalhei o Maximo que podia, deixei claro pra mim mesmo que a junção dos fatos estavam condicionadas ao desejo e a energia utilizada neste processo, isso apenas me demonstrou as configurações do real objetivo e inconscientemente a abertura de portais mentais para regiões (ou planetas) até então semelhante ao que estou. O mais surpreendente são os seres que habitam este mundos, é estranho como alguns deles são completamente indiferentes ou alheios a sua projeção no mundo deles, em nenhuma destas experiências me senti participante ou pude notar a partição deles nas cenas criadas por meus pensamentos. Em minhas pesquisas eu notei que se fazia necessário esquecer das pessoas e suas particularidades, o choque entre os mundos mentais de cada um, distorciam a realidade que eu criava para mim. Neste processo desenvolvi um exercício interessante para transformar alimentar o seu corpo com as energias do universo, compartilharei ele com vocês, apenas leiam atentamente meus caros leitores, tentarei ser o mais objetivo possível. 

Primeiramente o consciente. Você deve ter a certeza da realidade e saber que esse mundo é concreto, observe em sua volta tudo o que consegue ver, tocar, cheirar ou até mesmo sentir. Depois de estabelecer sua real posição neste mundo feche os olhos e tente imaginar o tempo, o vento, o vazio, esqueça o consciente e o que concreto, conecte-se com a energia que movimenta os seus pensamentos, viaje cada vez mais distante em direção a escuridão, não existe ponto de chegada porque somos um circulo no vazio, a escuridão é tudo o que podemos chamar de casa. Até.. que na mais distante profundidade de seus pensamentos você se dá conta que até a escuridão é energia ... Talvez nesta hora você consiga finalmente perceber que está morto e que até a realidade é uma projeção da mente... Espero que consigam contemplar a sua própria existência no universo.



Latromodem - Paraiso Paralelo 
Ela me deu a mão e eu fugi
Da sua fria mão de vento
Em algum lugar adormeci
E fui desfeito pelo tempo

Voar...vagar entre dois espaços
Gritar...com a certeza de não calar
Deitar...dormir e não acordar
Pra nunca mais sonhar

Meu corpo de areia e sal - espírito
Se afoga em desejos de alegria
Mas é tão breve o momento
E logo suas asas escondem o dia

Voar...vagar entre dois espaços
Gritar...com a certeza de não calar
Deitar...dormir e não acordar
Amar...pra nunca mais voltar
Voltar...sem medo de explicar
Por que...morremos tão jovens

"E de repente você tem a sensação
De que algo lhe foi tirado e agora está perdido
Sente-se carregado por garras invisíveis
Em qualquer lugar escuro
Do espaço profundo e vazio
Em queda livre sem paredes e sem direção

Você se desfaz..."

0 comentários:

Open Panel