O Mestre Elemental - ▲The Authentic Red Dragon▲ | Visions in My Head

quinta-feira, 30 de maio de 2013

O Mestre Elemental - ▲The Authentic Red Dragon▲

A felicidade não é mais possível para a tristeza, ela foi absorvida pelas forças impuras e as flores da alegria fugiram para um estado de felicidade pura.

Era um dia ensolarado quando parti deste mundo. Deixei para os humanos criarem seus próprios universos, na esperança deles construírem algo de valor. Infelizmente os humanos são ambiciosos, traiçoeiros e não possuem uma visão alem do que contemplam em seu próprio mundo. Não deu certo, a energia passada para eles, gritou... chamando meu nome. Enquanto eu voava tentei ignorar até onde podia. Mas a energia não me deixava continuar subindo, e no ponto mais alto de meu vôo, me sentindo completamente sozinho, resolvo olhar no espelho de minha alma,  buscando saber exatamente onde eu estava. Foi aterrorizante a visão, uma energia  me puxava para baixo, havia sumido completamente, enquanto eu subia, mais solitário eu ficava, minhas escamas não eram mais vermelhas e intensas como antes, a luz do sol havia dourado minha couraça deixando-as com um tom amarelado.
Naquele momento, contemplando uma nova sinfonia, uma luz divina se aproxima. Ela traça as separações de minhas escamas, cobrindo com ouro os antigos abismos que construir com tanto afinco. Recebo com uma imensa gratidão o presente. Estranhamente não me sentia mais solitário, a presença da energia divina acalmava o meu ser. Isso não mudava em nada a situação que eu estava, eu continuava sozinho no ponto mais alto de meu vôo, eu desejava companhia, mas somente os raios solares e o brilho das estrelas, acompanhavam me na solidão, enquanto elas brilhavam soando sua canção. Eu estava triste, já não me segurava mais, eu tinha que olhar para baixo, eu tinha um compromisso com o conhecimento, eu não poderia simplesmente virar meu bico para o alto e deixar os humanos na profunda escuridão. Foi pegando nesta sensação que a luz foi moldando a minha indiferença, minhas escamas douradas e cobertas com ouro criaram uma vibração surpreendente naquele momento, eu tive medo por um instante, a luz consumia a escuridão de minha mente. Eu não queria perder a escuridão, eu havia deixado muitas pessoas sonhadoras, pessoas compromissadas, guerreiras e acima de tudo verdadeiros com seus próprios conceitos de vida.


Olhei para baixo, o termo acreditar que foi um dia minha busca , havia se reduzido no tempo, os sussurros agonizantes nas sombras e as asas da percepção, completamente distorcidas por falsos espelhos, não haviam mais lutadores no meio da multidão, havia apenas escravos dos conceitos alheios. A conformidade era tangível, os falsos que pregavam a salvação, donos da razão, conceitos profanos e alguns até disfarçados de mals exemplos, não criaram os universos para todos, eles haviam se afogado em suas próprias criações.

O que importava naquele momento era agir, virei-me novamente e direcionei o meu bico para baixo. Em minha descida sentia que as minhas escamas deixavam para trás um rastro de luz e ouro estelar. Me coloquei novamente em direção a fonte. Isso realmente importava para mim. Não demorou para alcançar o ser interior, a totalidade de meu corpo. Ao chegar tudo estava deserto, não haviam mais idéias transbordando pelo ar, muitas delas haviam sido suprimidas pelos humanos, e no meio do deserto eu fiz o circulo, o surgimento da balança no centro dele me fez entender tudo. Era o momento de aumentar o meu poder pessoal eu tinha responsabilidade de fazer a balança pender naquele momento. Uma palavra agora pode mudar o rumo das coisas em nosso mundo, naquele momento esperei a noite chegar, eu realmente estava cercado por toda a eternidade e poder que poderia exprimir com minha sabedoria dracônica transbordando de meu corpo. E finalmente o silêncio chegou... Até o vento parou de sussurrar, naquele momento os meus olhos brilhavam, olhava claramente em direção aos quatro horizontes da terra enquanto o meu peito se inflava em chamas, enquanto o meu corpo se esquentava, o restante do ouro, incrustados em minhas escamas, derretia entrando em minha corrente sanguínea. Eu sabia exatamente o que fazer agora. A eternidade estava mais próximo de mim agarrei ela utilizando a força de seu ser.

Naquele momento com peito estufado e meus rufos pegando fogo, soltei um estrondoso rugido para todos os lados. "Malditas criaturas, não percebem que o metal criado por vocês alimenta a espada, o chumbo criado por todos alimenta a arma, as palavras alimentam o ar, e a vontade alimenta o fogo. Somos o sentimento cósmico da consciência, libertem-se de seus limites." Tolos não conseguiram distinguir o sonho da realidade, quando olhei para minhas patas vi o vermelho tomando conta de minhas escamas novamente. 
Não demorou muito para a primeira criatura aparecer com suas dúvidas. Era um lobo que havia se desprendido de sua matilha, ele se aproximou com passos tímidos e perguntou:

-Senhor dragão, vejo que retornaste ao mundo mortal. Porem tenho uma duvida crescente desde o momento em que partiu em sua jornada. Havia uma loba velha em minha matilha, ela vivia reclamando sobre a vida maldizia que a vida parecia-lhe não passar, ela se sentia como uma criança de 8 anos, eu tenho este mesmo sentimento, as vezes vejo as minhas andanças pela floresta e  me vejo quando eu tinha 5 anos. Parece que passou apenas 2 dias e as lembranças ainda continuam como ontem. Aonde foi parar o tempo?

O dragão era sábio, ele conhecia exatamente o motivo daquele lobo se aproximar, o pobre coitado estava perdido, cheio de duvidas em sua mente. Kothar Charir então ergue-se depois de ouvi-lo, ao aproximar do lobo, estende a sua pata dianteira em direção a ele  dizendo:

- Aqui está a cura para o veneno que habita sua mente, não fará diferença para você a explicação disto. Você está mais sozinho do que nunca, sem amor constante pelo ser que abrigas dentro de si. Isso é a solidão. Somente o amor por este ser pode lhe dar a liberdade de espírito, ele lhe ensinará muito e somente então aprenderás a renunciar toda a dificuldade que sente e dará sentido a sua vida e ao tempo. E no momento final de sua vida enfrentará a morte, até encontrar a fresta que leva aos outros mundos. Siga adiante ali está a porta.

O lobo não entende as palavras que para ele são confusas, e acostumado a sair de cena quando um assunto não lhe  cabe entendimento, ele retorna por seu caminho e não vai em direção a porta, a pobre criatura tinha medo do desconhecido, não estava preparado para enfrentar um outro mundo. Mas o dragão sabia que no momento certo ele chegaria em seu destino. E naquele momento o bater de asas de Kothar Charir criou uma enorme poeira no deserto, ele estava novamente neste mundo, o seu vôo foi rápido como a luz e seu enorme corpo foi em direção a escuridão, parecia fundir-se com as trevas. Uma força estranha tomava conta do mundo depois deste acontecimento.

0 comentários:

Open Panel